Oldney Lopes

Pensamentos esculpidos em contos, crônicas, mensagens e poemas

Textos


AMORTECER

O coração de um poeta é dividido
Entre os amores pela musa e pelo verso
É coração que embora estando repartido
É todo amor-poema-musa: é universo.

Pois tire, então, seu amargor, do meu sonhar
E deixe o doce exacerbar-se em minhas veias,
Porque prefiro a ilusão do delirar
Ouvindo, incauto, os suaves cantos das sereias.

Não mate os versos que insistem em brotar,
Não cale a alma que persiste em versejar,
Minha poesia quer raiar e acontecer.

Leva consigo a mágoa, o siso, o mal-amar,
Toma pra si seu coração de amor-talhar,
Tudo que eu quero é um coração de amor-tecer!



Oldney Lopes©
Brumadinho, 22 de dezembro de 2012.
15:10h.
Oldney Lopes
Enviado por Oldney Lopes em 22/12/2013

Música: Canon in D - Pachabel

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oldney Lopes - www.oldney.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras