Oldney Lopes

Pensamentos esculpidos em contos, crônicas, mensagens e poemas

Textos


ERA NOITE, E A LUA CHEIA...

Era noite, e a lua cheia
Brincava de nos banhar
E o fulgor do teu sorriso
Transformava em paraíso
Todo o tempo, todo o espaço
Todo raio de luar

Era noite, e a lua cheia
Cismava nos encantar
E o calor dos olhos teus
Fitando, ardentes, os meus
Aquecia o próprio brilho
Do luzidio luar

Era noite, e a lua cheia
Tentava nos inspirar
E o dulçor dos lábios teus
Puro néctar, nos meus,
Adoçava o próprio doce
Da doçura do luar

Era noite, e a lua cheia
Teimava em nos espreitar
E o rubor da tua face
Qual sol quando ardendo nasce
Dava um tom avermelhado
À cor do próprio luar

Era noite, e a lua cheia
Fitava o nosso beijar
E o tremor da pele tua
Toda quente, toda nua
Fazia tremer a lua
E o esplendor do luar

Era noite, e a lua cheia
Clareava o nosso amor
E o teu peito ardendo em chama
Em brasa, em fogo, em flama
Acendia um sol na noite:
Era o orgasmo do luar!
Oldney Lopes
Enviado por Oldney Lopes em 29/03/2007
Alterado em 31/03/2007
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oldney Lopes - www.oldney.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras