Oldney Lopes

Pensamentos esculpidos em contos, crônicas, mensagens e poemas

Textos


SÚPLICA À NINFA GALATÉIA

Vem minha musa, ninfa Galatéia,
Fazer arder os meus lençóis em chama,
Faz deste leito ajardinada aléia,
Adorna com teu corpo minha cama.
 
Não teme o Polifemo ou qualquer Cíclope,
Faz-me teu Ácis, toma-me nos braços,
E mergulhado em embriaguez políope,
Vejo mil sóis brilhando em teu regaço.
 
Se meu clamor, entretanto, for em vão,
Evita dar-me face a face um não:
Se o destino negar-me tal ventura,
 
Deixa que o Ciclope mate-me e então
O meu sangue vertido em profusão
Seja o rio a dar-te o leito por ternura!

 

Oldney Lopes©

Oldney Lopes
Enviado por Oldney Lopes em 01/09/2009

Música: Amarantine - Enya

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oldney Lopes - www.oldney.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras