Oldney Lopes

Pensamentos esculpidos em contos, crônicas, mensagens e poemas

Textos


O TERCEIRO ADEUS

                                  (a um poeta morto)


Adeus após adeus, foi sua trajetória,
E cada adeus foi lança a golpear seu peito
Desde o primeiro adeus quedou-se a sua história
Em sucessivos dramas de amores desfeitos.

Já no segundo adeus deu-se às mortais torpezas
Dos vícios, dos bordéis, da vida desregrada,
E foi brindando às quedas, bebendo as vilezas,
Que viu-se no lodoso chão da derrocada.

Foi o terceiro adeus, enfim, o derradeiro
Troféu de inglórias lutas do inglório guerreiro
Frustrados os amores, a ilusão perdida...

O derradeiro adeus quem deu foi ele mesmo:
Dos píncaros dos sonhos que sonhou a esmo
Saltou desiludido e deu a Deus a vida!


Oldney Lopes ©
Brumadinho, 10 de fevereiro de 2008.
09:28h.

Oldney Lopes
Enviado por Oldney Lopes em 10/02/2008
Alterado em 10/02/2008

Música: be my valentine - ernesto cortazar

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oldney Lopes - www.oldney.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras