Oldney Lopes

Pensamentos esculpidos em contos, crônicas, mensagens e poemas

Textos


VERSONHAR

São teus todos os versos que eu invento,
Qualquer lira que toco é a ti que tanjo,
Vejo teu rosto, se imagino um anjo,
E tua luz, se miro o firmamento.

Tão prazeroso é construir-te em rimas!
Quanta lascívia ao versejar teus lábios!
Na folha em branco – alcova, o verso é sábio:
Desvenda os teus mistérios, me sublima!

De tão intenso e forte este meu gosto,
As letras que eu escrevo são teu rosto,
Os versos são teu corpo em tez e charme...

Na folha és tu sorrindo, airosa e nua...
Onírico lampejo, e a imagem tua
Desgruda do papel e vem beijar-me!

Oldney Lopes ©
Brumadinho, 26 de janeiro de 2008.
02:45h.

Oldney Lopes
Enviado por Oldney Lopes em 26/01/2008
Alterado em 26/01/2008

Música: Sicilian Romance - Ernesto Cortazar

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oldney Lopes - www.oldney.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras