Oldney Lopes

Pensamentos esculpidos em contos, crônicas, mensagens e poemas

Textos


VAZIO EM PLENITUDE

Nas noites frias de momentos enfadonhos
Meu pensamento jaz sem cor e conteúdo
E sem musa qualquer eu miro sonhos
Sem ter estrelas para ouvir ouço o céu mudo.

Sendo a poesia minha deusa e meu caudilho
De agudas pedras faço cama de veludo
Da escuridão faço fulgor de luz e brilho
Pois sou poeta e poetizo o nada em tudo

Mas se abandonam-me as venturas da jornada
E se me foge a inspiração das madrugadas
Na ausência estéril das idéias não me vergo:

Sinto o vazio, ouço o silêncio e vejo o nada
Faço poesias com a sombra esvaziada
Do que não sinto, não escuto e não enxergo!

(imagem: "plenitude", de Tahyane - disponível em: http://paginas.terra.com.br/arte/tahyanesites/poesias/plenitude.gif)
Oldney Lopes
Enviado por Oldney Lopes em 17/07/2007
Alterado em 02/08/2009

Música: Megan's Dream - Suzanne Ciane

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oldney Lopes - www.oldney.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras