Oldney Lopes

Pensamentos esculpidos em contos, crônicas, mensagens e poemas

Textos


CHAMA

Com tuas mãos é que se acende a vela
Pelo teu fósforo o pavio Inflama
Emol-duro-te no abraço: és a tela
Em que Pinto delícias dessa trama

Quando é teu lírio que insinua e chama
Ardente o círio em riste flamejante
Todo esplendor do céu invade a cama
Intumecendo o an-seio latejante

O fogo que se queima em nosso amor
Secreta o teu suor em que me espalho
E vou te oferecendo ósculo em flama

Até que a vela, exaurido o vigor
Saciada entorna a cera, último orvalho,
E docemente, enfim, apaga a chama!

Oldney Lopes©
Brumadinho, 24 de agosto de 2014.
Oldney Lopes
Enviado por Oldney Lopes em 24/08/2014
Alterado em 24/08/2014

Música: LE LAC DE COME - Do Din Phuong

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oldney Lopes - www.oldney.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras