Oldney Lopes

Pensamentos esculpidos em contos, crônicas, mensagens e poemas

Textos


O SILÊNCIO DOS MOINHOS

Os moinhos são as pás do tempo parado
Impulsionadas pelo nada que as transpassa
São as pás que giram em silêncio
Enquanto o mundo grita a canção do desalento
São as pás, inertes ao girar do mundo

Giram as pás do moinho
E nós, aqui, parados,
Ensurdecidos pelo incômodo silêncio,
Não nos damos conta
De que o que passa não é o vento,
Não é o tempo,
Não é a vida,
O que passa,
Verdadeiramente,
É o que vira pó:
O que passa
Somos nós.
Oldney Lopes
Enviado por Oldney Lopes em 08/05/2007
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oldney Lopes - www.oldney.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras