Oldney Lopes

Pensamentos esculpidos em contos, crônicas, mensagens e poemas

Textos


VOA VERSO, VOA!

Maço e cinzel, a escrita vem e te lapida
E faz poesia etérea o que era pedra bruta,
Então, minha poesia, vai voar, ser lida,
E libertar-se do poeta que a executa.

Mas, se, entretanto, surge uma barreira, olvida,
Se a letra te agrilhoa, busca a liberdade
Abre tuas asas, voa de uma arremetida
Vai para além desta alma, desta intimidade.

Voa, minha poesia, para além da vida,
Acha saída e voa, encontra espaço, invade,
Rompe a muralha densa e toma a infinidade.

Nuvem de pensamento em versos travestida,
Nave no firmamento imersa e distraída,
Voa, minha poesia, para a eternidade!
Oldney Lopes
Enviado por Oldney Lopes em 31/03/2007
Alterado em 15/05/2007
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oldney Lopes - www.oldney.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras