Oldney Lopes

Pensamentos esculpidos em contos, crônicas, mensagens e poemas

Textos


QUANDO ME FALTAM OS VERSOS
(Estar Morto)

                         “Agora eu estou morta.
                         Estou falando do meu túmulo.”

                         (Clarice Lispector)



Quando me faltam os versos
É o próprio ar que me falta
A própria água e o pão
Quando me faltam os versos
Falta-me a própria razão
Falta o sentido da vida
Faltam-me os pés, falta o chão.

Quando me faltam os versos
Faltam-me o belo e o altivo
O resplendor, o brilhar
Falta-me então estar vivo
Pois vivo de versejar

Quando me faltam os versos
Envolve-me a aura escura
Encarcera-me a angústia
Sufoca-me a amargura

Resta um sol que não fulgura
Flores secas, sem odor,
Restam manhãs sem ternura
Restam noites sem amor
Porque se me faltam versos
Vira o mundo sepultura
Sem alento, sem encanto,
Um existir frio e torto,
Pois dentro de um peito em pranto
Um coração bate morto.
Oldney Lopes
Enviado por Oldney Lopes em 29/03/2007
Alterado em 01/04/2007
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oldney Lopes - www.oldney.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras