Oldney Lopes

Pensamentos esculpidos em contos, crônicas, mensagens e poemas

Textos


BAÚ ENCANTADO


Num dia de aniversário
Com bolo, velinha e balão
Brilho, luz, festa, magia,
Guardei no baú encantado
O meu rosto lambuzado
De cajuzinho e alegria

Guardei minhas fantasias,
Meus brinquedos de menino:
Os carrinhos sem rodinhas
A bola furada e murcha
Também a bola de meia
E as bolinhas de gude
As tampinhas de garrafa
O pião
O ioiô
O dominó
O pega-varetas
O resta-um

Guardei ainda as ilusões:
Meus sonhos de infância
Meus vaticínios
Minhas emoções.

Antes de trancar,
Guardei o Papai Noel
E o Coelhinho da Páscoa.
Guardei o sorriso de Mamãe
E a lágrima solitária do Papai
Emocionado ao me ver contente
Abrindo o meu presente
Na noite de Natal
(guardei também o Natal
e os ovos de páscoa)

Agora procuro a chave
Do meu baú encantado.
Constato, desapontado
Que a chave sumiu pra sempre:

Eu a perdi numa das voltas
Do ponteiro do relógio
Ou numa das que o mundo deu
Ou numa das folhas arrancadas
Do calendário de parede

Perdi a chave no passar da história
E o baú – já não mais encantado
Pra sempre estará trancado
Guardado, tão bem guardado
Na caverna escura da minha memória


Oldney Lopes©

Oldney Lopes
Enviado por Oldney Lopes em 29/03/2007
Alterado em 03/10/2009

Música: Alegria del Coro - BSO Los Coristas

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oldney Lopes - www.oldney.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras