Oldney Lopes

Pensamentos esculpidos em contos, crônicas, mensagens e poemas

Textos


MÁSCARAS

Conheço bem a cara do Sol
Quando sem brilho
Escondido de tudo e todos
Por detrás de um morro ou de um sorriso
Morro do malogro do que quis
 
Conheço bem a face do Sol
Quando sem lume
Cabisbaixo
Apagando andar a andar
Piso sobre sombras embaçadas
Jorro de breu
Taciturno espectro
Do que não deu
 
Conheço bem a tez do Sol
Quando sem tez
Hão brilhado à volta dez mil astros
Sem ter o olho de encarar brilhos alheios
Poço de trevas profundas
Adormecido em sono agudo
Mudo
No fecho da escuridão do
Do próprio vulto
 
Conheço bem o invólucro do Sol
Quando na negação do arrebol
 
Conheço bem toda a desfaçatez
Do Sol luzindo lampejos ocultos
Tramas urdidas caem de uma vez
No chão da hipocrisia e dos insultos.
 
 
Conheço bem a máscara do Sol
 
Quando oculto.

 
Oldney Lopes©

Oldney Lopes
Enviado por Oldney Lopes em 27/08/2012

Música: Only Time - Enya

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oldney Lopes - www.oldney.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras