Oldney Lopes

Pensamentos esculpidos em contos, crônicas, mensagens e poemas

Textos


O CÉU DAS MADRUGADAS
 
Olho para o céu, nas madrugadas
Imagino seu rosto sereno
Seu semblante sua tez nacarada
Seu sonhar de delícias tão pleno
 
Mil estrelas, em torno, brilhando
Num fulgor tão intenso e bonito
Mas sua face é que vai cintilando
Mais que todo esplendor do infinito
 
Acordado, me ponho a sonhar
Em sair, quando o dia raiar,
Colher rosas e dar-lhe um buquê
 
Dorme, dorme, sonha, minha amada
Que eu aqui, por toda a madrugada
Vou sonhando, feliz, com você!
 
Oldney Lopes©


Oldney Lopes
Enviado por Oldney Lopes em 19/09/2011
Alterado em 19/09/2011

Música: Sonata Clair de Lune - Beethoven

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oldney Lopes - www.oldney.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras