Oldney Lopes

Pensamentos esculpidos em contos, crônicas, mensagens e poemas

Textos


DOCE VENENO
 
Carrego no meu íntimo a torpeza
Do peso de pecado e iniquidade,
Enquanto aspiro em vão pela leveza
De paz, sossego e de tranquilidade.
 
Eu sinto o travo do amargor na boca,
Enquanto anseio um néctar delicioso.
Tenho na alma a insanidade louca
E nas costas um fardo doloroso.
 
Amarfanhado entre tramas e teias,
Sou dual entre docilidade e fel,
Entre o celibatário e o lascivo.
 
Como o açúcar que corre em minhas veias:
Tão saboroso, entretanto tão cruel,
Tão deleitoso e bom quanto nocivo!
 
Oldney Lopes©

Oldney Lopes
Enviado por Oldney Lopes em 08/09/2011

Música: Canon in D - Pachabel

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oldney Lopes - www.oldney.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras