Oldney Lopes

Pensamentos esculpidos em contos, crônicas, mensagens e poemas

Textos


ESPINHO
 
Eu sou o homem que incomoda e lesa,
E sulca corações como uma fresa,
Sou ponta lancinante entre entidades,
Sou fel que voga na docilidade.
 
Eu sou o espinho que agrilhoa as almas,
Vou arranhando e esfolando palmas,
Ferindo as mãos que incautas tangem flores,
Machuco e incomodo e causo dores.
 
Não há quem por mim passe e saia são
Sem que leve além de um susto, um arranhão,
Um furo, um rasgo, um corte bem profundo.
 
Assim me sinto entrave nos jardins,
Pois entre lírios, rosas e jasmins
Vou machucando e incomodando o mundo.
 
 
Oldney Lopes©

Oldney Lopes
Enviado por Oldney Lopes em 06/09/2011
Alterado em 06/09/2011

Música: Sonata Clair de Lune - Beethoven

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oldney Lopes - www.oldney.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras